sexta-feira, 18 de agosto de 2017

As drogas são o poder do demônio, alerta Bispo



Imagem referencial/ Foto: Pixabay (Domínio Público) - Flickr Carton Estitxu (CC-BY-SA-2.0)
Roma, 16 Ago. 17 / 04:00 pm (ACI).- O Secretário da Comissão do Episcopado Italiana para a família, os jovens e a vida, Dom Nicoló Anselmi, incentivou os produtores e comerciantes de drogas a converter-se e livrar-se deste poder do demônio que continua destruindo a vida de muitos jovens.
Dom Anselmi, também Bispo Auxiliar de Gênova (Itália), fez este apelo ao refletir sobre a morte de Adele De Vincenzi, o adolescente de 16 anos que faleceu após de usar ecstasy na sexta-feira, 28 julho; e Sabine Mantuano, de 17 anos, que também morreu em maio depois de consumir um coquetel com álcool e droga.
“Todos nós sabemos que a droga é um terrível flagelo, mas talvez nos sentimos impotentes. Hoje à noite rezarei por Adele, por Sabine (...) por todos os adolescentes, pelos pais que sofrem e estão assustados”, expressou o Prelado.
Em um artigo publicado pela agência de notícias italiana SIR, Dom Anselmi denunciou que se fala pouco sobre as drogas, apesar de ela ser vista “diariamente, no comércio de rua e nos rostos arruinados de muitos jovens”.
“Quando leio que Adele, de 16 anos, morreu na minha cidade, caindo na armadilha sem volta das drogas ‘inteligentes’, fico com um nó na garganta e no coração, tenho muita vontade de gritar”, expressou.
O Prelado compartilhou que “muitos contemporâneos morreram pelas drogas e celebrei o funeral de alguns, outros amigos queridos estão na cadeia”.
O Bispo Auxiliar de Gênova recordou que os adolescentes como Adele e seus amigos “são um grande dom para a humanidade; têm a força, o entusiasmo, a inteligência e a energia para tornar muitas pessoas felizes”.
“Quanto amor poderiam distribuir os adolescentes e os jovens!”, expressou.
Por isso, reiterou as suas orações pelos adolescentes e pelos seus pais, mas especialmente “também rezarei por aqueles que produzem, vendem e distribuem a droga: convertam-se e libertem-se do poder do demônio”.
Fonte: Acidigital

Bispos brasileiros convocam Jornada de Oração e Jejum pelo Brasil


REDAÇÃO CENTRAL, 17 Ago. 17 / 02:00 pm (ACI).- A Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) convoca todos os fiéis a uma Jornada de Oração e Jejum pelo país, entre os dias 1º e 7 de setembro, diante do “momento difícil e de apreensão” pelo qual se está passando.
Em carta enviada aos Bispos do Brasil, a presidência da CNBB explica que decidiu mobilizar os cristãos a rezar pelo país, após análise da realidade brasileira feita na última reunião do Conselho Episcopal Pastoral, nos dias 10 e 11 de agosto.
“A realidade econômica, política, ética vem acompanhada de violência e desesperança”, assinala a carta aos bispos.
A data escolhida como Dia de Oração é o 7 de setembro, porque marca a Independência do Brasil, sendo comemorado o Dia da Pátria.
Para o secretário-geral da CNBB, Dom Leonardo Steiner, a Jornada de Oração é uma oportunidade para os cristãos e as pessoas de boa vontade que querem um Brasil melhor.
“Nós estamos necessitados de um novo Brasil, mais ético; de uma política mais transparente. Nós não podemos chegar a um impasse de acharmos que a política pode ser dispensada. A política é muito importante, mas do modo do comportamento de muitos políticos, ela está sendo muito rejeitada dentro do Brasil”, assinalou ao site da CNBB.
De acordo com Dom Steiner, a expectativa é “que esse dia de jejum e oração ajude a refletir essa questão em maior profundidade”.
A Conferência enviou também aos Bispos uma oração, a mesma sugerida por ocasião da Solenidade de Corpus Christi, com uma pequena adaptação na última prece.
Confira a seguir a oração completa:
JORNADA DE ORAÇÃO PELO BRASIL
Semana da Pátria – 1º a 07 de setembro de 2017
07 de setembro – dia da Pátria: Vida em primeiro lugar
“A paz é o nome de Deus” (Papa Francisco)
Diante do grave momento vivido por nosso país, dirijamos nossa oração a Deus, pedindo a bênção da paz para o Brasil.
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Vivemos um momento triste, marcado por injustiças e violência. Para construirmos a justiça e a paz, em nosso país, necessitamos muito do vosso amor misericordioso, que nunca se cansa de perdoar.
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Estamos indignados, diante de tanta corrupção e violência que espalham morte e insegurança. Pedimos perdão e conversão. Nós cremos no vosso amor misericordioso que nos ajuda a vencer as causas dos graves problemas do País: injustiça e desigualdade, ambição de poder e ganância, exploração e desprezo pela vida humana.
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Ajudai-nos a construir um país justo e fraterno. Que todos estejamos atentos às necessidades das pessoas mais fragilizadas e indefesas! Que o diálogo e o respeito vençam o ódio e os conflitos! Que as barreiras sejam superadas por meio do encontro e da reconciliação! Que a política esteja, de fato, a serviço da pessoa e da sociedade e não dos interesses pessoais, partidários e de grupos.
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Vosso Filho, Jesus, nos ensinou: “Pedi e recebereis”. Por isso, nós vos pedimos confiantes: fazei que nós, brasileiros e brasileiras, sejamos agentes da paz, iluminados pela Palavra e alimentados pela Eucaristia.
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Vosso filho Jesus está no meio de nós, trazendo-nos esperança e força para caminhar. A comunhão eucarística seja fonte de comunhão fraterna e de paz, em nossas comunidades, nas famílias e nas ruas.
Pai misericordioso, nós vos pedimos pelo Brasil!
Neste ano em que celebramos os 300 anos do encontro da imagem de Nossa Senhora Aparecida, queremos seguir o exemplo de Maria, permanecendo unidos a Jesus Cristo, que convosco vive, na unidade do Espírito Santo.
Amém!
(Pai nosso! Ave, Maria! Glória ao Pai, ao Filho e ao Espírito Santo!)
Fonte:Acidigital

VIRAL: Este vídeo demonstra que é possível rezar o terço em família

DENVER, 17 Ago. 17 / 06:00 pm (ACI).- Esta semana uma família católica dos Estados Unidos publicou um timelapse no Facebook no qual aparecem todos os seus membros rezando juntos o terço.
O vídeo foi divulgado através da página One Hail Mary at a Time no dia 13 de agosto e até hoje já tem mais de 20 mil visualizações. Na descrição, indicam que “assim é como rezamos todas as noites em família. Nosso imperfeito Terço familiar: requer paciência, flexibilidade e, sobretudo, perseverança”.
Ted e Kristin têm nove anos de casados e seus filhos, cujas idades variam entre oito anos e sete meses. Atualmente, Kristin é quem administra a página de Facebook One Hail Mary ata Time, criada há seis meses.
Em declarações ao Grupo ACI, Kristin assinalou que “esta é a primeira vez que realizamos um vídeo nosso rezando, mas já tínhamos gravado há uns cinco anos alguns áudios de toda a família rezando o terço e publicamos no iTunes”.
Kristin manifestou que junto com seu marido e seus filhos, rezam o terço todas as noites durante meia hora, há cinco anos.
“O mais importante é que tentamos incluir as crianças e consideramos valioso o fato de lhes dar essa disciplina”, disse.
Esta mãe comentou que a iniciativa surgiu a partir da sugestão de sua mãe, com quem rezava o terço frequentemente antes de se casar, enquanto seu esposo nunca o tinha feito, já que sua família não praticava sua fé, apesar de que declarar católica.
“Quando nosso terceiro filho nasceu, decidimos começar a rezar o terço cada noite, porque estávamos passando por um período muito estressando e pensamos que era um bom ritual que poderíamos colocar em prática. Fizemos durante 40 dias e percebemos que era algo genial. Portanto, decidimos continuar”, narrou.
“As crianças foram quem nos impulsionaram a fazer isso, porque, quando já estávamos casados e sem filhos, não rezávamos o terço”, acrescentou.
Kristin disse que seus filhos mais velhos, de oito, sete e cinco anos podem rezar por si mesmos um terço completo, enquanto os mais novos estão aprendendo a recitar a Ave Maria. “São muito ternos”, comentou.
“A oração do terço dá paz às crianças e elas sabem que nesse momento seus pais e sua família estão juntos. Esta prática traz paz e alegria a todos”, expressou.
A mãe de 35 anos indicou que, enquanto e família reza o terço, “temos como regra que as crianças permaneçam sentadas. De todo modo, os mais novos se mexerão mais, mas nos ajuda dar acender uma vela, dar-lhes o terço e fazer com que, às vezes, o dirijam”.
Sobre a página no Facebook, Kristin comentou que a utiliza como um meio para “demonstrar que rezar em família é possível, talvez difícil, mas vale a pena fazê-lo”.
“Uma das experiências rezar o terço gera é que parece que anda acontece. Mas quando persevera, percebe tudo o que ocorre e que não pode viver sem ele”, escreveu Kristin no Facebook de One Hail Mary at a Time.
Atualmente, Kristin trabalha alguns dias da semana, em sua casa mesmo, e seu esposo tem um negócio próprio.
Fonte:Acidigital

Papa Francisco envia telegrama de condenação pelo atentado terrorista de Barcelona


Papa Francisco. Foto: ACI Prensa
VATICANO, 18 Ago. 17 / 09:40 am (ACI).- Através de um telegrama, o Papa Francisco expressou “seu mais profundo pesar pelas vítimas que perderam a vida” no atentado terrorista perpetrado em 17 de agosto na cidade de Barcelona e oferece “sufrágios pelo descanso eterno”.
No telegrama, enviado ao Arcebispo de Barcelona, Cardeal Juan José Omella, pelo Secretário de Estado, Cardeal Pietro Parolin, o Santo Padre define como “cruel atentado terrorista” e “ação desumana” o ataque perpetrado pelo Estado Islâmico que provocou 14 vítimas mortais e mais de 100 feridos.
O Cardeal Parolin indicou no telegrama que o Pontífice, “nestes momentos de tristeza e dor, quer trazer seu apoio e proximidade aos muitos feridos, suas famílias e toda a sociedade catalã e espanhola”.
“O Santo Padre condena a violência cega que é uma ofensa gravíssima ao Criador e eleva sua oração ao Altíssimo para que nos ajude a seguir trabalhando com determinação pela paz e a concórdia no mundo”, conclui o telegrama enviado pelo Secretário de Estado de Sua Santidade.
Fonte:Acidigital

Papa: Maria nos capacita a atravessar com fé os momentos dolorosos

2017-08-15 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) -   “Trazendo Jesus, Nossa Senhora traz também a nós uma nova alegria, cheia de significado; nos traz uma nova capacidade de atravessar com fé os momentos mais dolorosos e difíceis”.
 
Falando aos milhares de fiéis presentes na Praça São Pedro para o Angelus na Solenidade da Assunção, o Papa Francisco recordou que devemos pedir a Maria para nossas famílias e comunidades aquele “dom imenso”, “a graça que é Jesus Cristo”.
A narrativa de Lucas da visita de Maria à sua prima Isabel inspirou a reflexão do Papa, que precede a oração do Angelus.
Francisco recordou que “na casa de Isabel e de seu marido Zacarias, onde antes reinava a tristeza pela falta de filhos, agora existe a alegria de uma criança que chega, uma criança que se tornará o grande João Batista, precursor do Messias”. E completou:
“E quando chega Maria, a alegria transborda e explode nos corações, porque a presença invisível mas real de Jesus preenche tudo com um sentido: a vida, a família, a salvação do povo, tudo!”
“E esta alegria plena – explica o Santo Padre – se expressa com a voz de Maria na oração estupenda” do Magnificat:
“É o canto de louvor a Deus que opera grandes coisas por meio das pessoas humildes, desconhecidas para o mundo, como é a própria Maria, como é o seu esposo José, e como é também o local onde vivem, Nazaré. As grandes coisas que Deus fez com as pessoas humildes! As grandes coisas que o Senhor faz no mundo com os humildes, porque a humildade é como um vazio, que deixa espaço para Deus. O humilde é poderoso, não porque é forte. E esta é a grandeza do humilde, da humildade.”
“Gostaria de perguntar a vocês, e também a mim - completou Francisco. Mas não se responde em voz alta, cada um responde no coração. Como está a minha humildade?”
“O Magnificat – disse o Papa – canta o Deus misericordioso e fiel que cumpre o seu plano de salvação com os pequenos e os pobres, com aqueles que têm fé n’Ele, que confiam na sua palavra como Maria”.
“A vinda de Jesus naquela casa por meio de Maria – sublinhou Francisco – criou não somente um clima de alegria e de comunhão fraterna, mas também um clima de fé que leva à esperança, à oração, ao louvor”:
“Tudo isto nós gostaríamos que acontecesse hoje em nossas casas. Celebrando Maria Santíssima Assunta ao Céu, gostaríamos que ela, mais uma vez, trouxesse a nós, a nossas famílias, às nossas comunidades, o dom imenso, a graça única que devemos sempre pedir por primeiro e acima das outras graças que também estão no coração: a graça que é Jesus Cristo”.
“Trazendo Jesus – acrescentou o Pontífice – Nossa Senhora traz também a nós uma alegria nova, cheia de significado”:
“Nos traz uma nova capacidade de atravessar com fé os momentos mais dolorosos e difíceis; nos traz a capacidade de misericórdia para perdoar-nos, compreender-nos, apoiarmo-nos uns aos outros”.
“Maria – disse o Papa ao concluir sua reflexão – é modelo de virtude e de fé”, “agradeçamos a ela porque sempre nos precede na peregrinação da vida e da fé”, pedindo que “nos proteja e nos sustente”. “Que possamos ter uma fé forte, alegre e misericordiosa, que nos ajude a sermos santos, para nos encontrarmos com ela um dia no Paraíso”. (JE)

(from Vatican Radio)
Fonte: News.VA

Papa: a fé em Cristo nos dá segurança, apesar de nossas misérias e fraquezas


Cidade do Vaticano (RV) - “A fé não é uma fuga dos problemas da vida, mas sustenta no caminho e lhe dá um sentido”: foi o que disse o Papa Francisco no Angelus deste domingo, XIX do Tempo Comum, no habitual encontro dominical para rezar, ao meio-dia, a oração mariana com fiéis e peregrinos reunidos na Praça São Pedro.
Na alocução que precedeu a oração do Angelus, o Santo Padre destacou a página do Evangelho do dia (Mt 14,22-33), que descreve o episódio de Jesus que, após ter rezado toda a noite à margem do lago da Galileia, se dirige rumo à barca de seus discípulos, caminhado sobre as águas.
A barca encontra-se no meio do lago – observa o Pontífice – parada, sem poder avançar, impedida por um forte vento contrário. Quando veem Jesus caminhando sobre as águas, os discípulos confundem-no com um fantasma e se amedrontam.
Mas Ele os tranquiliza: “Coragem, sou eu, não tenhais medo”. Pedro, com seu típico ímpeto, lhe diz: “Senhor, se és tu mande que eu vá ao teu encontro sobre as águas”; e Jesus o chama “vem!”, prosseguiu Francisco descrevendo a cena narrada pelo evangelista.
Descendo da barca, Pedro caminha sobre as águas e vai ao encontro de Jesus, mas, sentindo o vento, fica com medo e começa a afundar. Então grita: “Senhor, salva-me!”, e Jesus lhe estende a mão e o assegura.
Esta narração do Evangelho contém um rico simbolismo, afirmou o Papa, “e nos faz refletir sobre a nossa fé, quer como indivíduos, quer como comunidade eclesial, também a nossa fé de todos nós que estamos aqui, hoje, na Praça”, frisou. A comunidade, esta comunidade eclesial, tem fé? Como é a fé de cada um de nós e a fé da nossa comunidade? – perguntou Francisco.
“A barca é a vida de cada um de nós, mas é também a vida da Igreja; o vento contrário representa as dificuldades e as provações. A invocação de Pedro: ‘Senhor, manda que eu vá ao teu encontro!’ e o seu grito: ‘Senhor, salva-me!’ se assemelham muito ao nosso desejo de sentir a proximidade do Senhor, mas também o medo e a angústia que acompanham os momentos mais duros da nossa vida e das nossas comunidades, marcadas pela fragilidades internas e pelas dificuldades externas.”
Não foi suficiente para Pedro, naquele momento, a palavra segura de Jesus, que era como a corda lançada à qual agarra-se para enfrentar as águas hostis e agitadas.
“É aquilo que pode acontecer também conosco. Quando não se agarra à palavra do Senhor, para ter mais segurança se consultam horóscopos e cartomantes, se começa a ir para o fundo. Significa que a fé não é tão forte”, observou o Santo Padre.
O Evangelho deste domingo nos recorda que “a fé no Senhor e na sua palavra não nos abre um caminho onde tudo é fácil e tranquilo; não nos poupa das tempestades da vida”, destacou.
“A fé nos dá a segurança de uma Presença, a presença de Jesus que nos impele a superar os vendavais existenciais, a certeza de uma mão que nos agarra para ajudar-nos a enfrentar as dificuldades, indicando-nos o caminho inclusive quando é escuro. A fé, em suma, não é uma fuga dos problemas da vida, mas sustenta no caminho e lhe dá um sentido”, frisou o Papa.
Esse episódio é uma imagem estupenda da realidade da Igreja de todos os tempos: uma barca que, ao longo da travessia, deve enfrentar também ventos contrários e tempestades, que ameaçam devastá-la, acrescentou.
“O que salva não são a coragem e a qualidade de seus homens: a garantia contra o naufrágio é a fé em Cristo e na sua palavra. Essa é a garantia: a fé em Jesus e na sua palavra. Nessa barca estamos seguros, apesar das nossas misérias e fraquezas, sobretudo quando nos colocamos de joelhos e adoramos o Senhor, como os discípulos que, no final, ‘se prostraram diante d’Ele, dizendo: ‘Verdadeiramente tu és o Filho de Deus!’
Que belo dizer essa palavra a Jesus, disse o Papa Francisco convidando os presentes a repeti-la. “Que a Virgem Maria nos ajude a continuar firmes na fé para resistir aos vendavais da vida, a permanecer na barca da Igreja evitando a tentação de subir nos barcos fascinantes, mas inseguros da ideologias, das modas e dos slogans.” (RL)
Fonte: News.VA

Oração pela paz na família

Resultado de imagem para imagem de são josé

São José, esposo castíssimo da Virgem Maria,
homem justo e fiel aos desígnios de Deus Pai,
ensinai-nos a silenciar quando as tempestades das palavras
ofuscarem o equilíbrio da paz em nosso lar.

Que na confiança divina recuperemos a serenidade e,
por meio do diálogo, possamos estar unidos no amor.
Maria, Virgem Santíssima,
Mãe do Amor Misericordioso,
auxiliai-nos com sua intercessão diante das situações difíceis,
cubra-nos com teu manto maternal diante das incompreensões
e desventuras da caminhada,
e mostrai-nos o caminho da ternura seguindo os passos
de vosso amado Filho Jesus Cristo.

Jesus Cristo, Príncipe da Paz e Rei das Misericórdias,
auxiliai-nos nos caminhos da bondade, do perdão e da unidade.
Por seu exemplo divino, iluminai nossos passos,
para que, vivendo em harmonia, sejamos para o mundo
testemunhas de Vossa Sagrada Família de Nazaré.
Dai-nos a paz e libertai-nos do mal.
Amém!

Padre Flávio Sobreiro
www.cancaonova.com